Menu

Chernobyl hoje

20 de novembro de 2019

Era um dia assim como hoje, com crianças brincando na rua e alunos voltando do colégio, que em 25 de abril de 1986, aconteceu o maior acidente nuclear do mundo. Nesse post vou contar como está Chernobyl hoje, 33 anos depois desse dia em meio à primavera ucraniana, que mudou para sempre a vida de milhares de pessoas.

O que era Chernobyl?

“O que era Chernobyl? e o que é Chernobyl hoje?”

Essas são algumas das perguntas que eu recebi no Instagram do Viajando com a Mala Rosa antes de visitar a usina nuclear de Chernobyl. Listo a seguir algumas respostas que recebi pra pergunta “Chernobly o que é ?”:

  1. Chernobyl é o reator, onde ocorreu o acidente?
  2. Chernobyl é uma cidade?
  3. Chernobyl é o nome que deram ao acidente nuclear em si?

Chernobyl é um distrito, com pouco mais de 170 municípios e vilas que hoje em dia estão “abandonados”. A área toda de Chernobyl tem um raio de +/- 30km de acesso restrito, mas explico um pouco melhor mais embaixo.

Em 2006, 20 anos depois do acidente, foi criado um memorial no centro de Chernobyl com o nome de todas as cidades e vilas dentro da área de exclusão com acesso restrito. Veja a foto abaixo:

Chernobyl o que é

Memorial das cidades e vilas de Chernobyl, Foto: Paula Rocha

Chernobyl desastre, o que aconteceu?

O acidente nuclear de Chernobyl aconteceu depois de um teste feito nos reatores com o propósito de  economizar energia. 176 homens do bloco 4 iriam realizar os testes, e para que isso acontecesse, eles precisaram desligar os sistemas de segurança da usina nuclear.

Entretanto, o pior aconteceu, uma série de explosões começaram a acontecer no reator 4 e a tampa de 1200 toneladas que cobria o reator foi jogada a centenas de metros, enquanto isso partículas radiativos eram jorradas a centenas de metros acima, espalhando urano e grafite para toda a terra.

A água superaquecida foi toda transformada em vapor, causando uma explosão destrutiva que foi seguida de um incêndio. Um grande movimento vertical de ar,  jorrou doses altíssimas de partículas altíssimas por nove dias consecutivos.

Os Moradores da cidade de Pripyat, situada a cerca de 3km da Usina Nuclear de Chernobyl sentiram gosto do iodo radioativo na boca e começaram a ouvir boatos que tinha havido um acidente na Usina Nuclear de Chernobyl.

 Explosão do reator 4

Nosso guia Max da Chernobyl Welcome contando sobre o desastre

Evacuação de Chernobyl

Embora muitos desconfiassem, até então era somente boatos, ninguém tinha uma informação correta sobre o tal acidente.

Somente 36 horas depois do acidente que as devidas providências teriam sido tomadas.

O exército foi acionado para a retirada das pessoas, e eles só tinham 2 horas para pegar alguns dos seus pertences e esperar em frente as suas casas pelo ônibus que iria chegar.

Não houve pânico, todos achavam que retornariam em alguns dias, mas nunca mais puderam voltar.

Algumas pessoas não queriam sair da cidade, umas até se esconderam e foram encontradas semanas mais tarde, já mortas pelo efeito da radiação.

O vento levou a poeira de radiação para muitos outros países da Europa, mas ninguém sabia o que estava acontecendo, eles guardaram segredo, e colocaram em risco a vida de milhares de pessoas, Inclusive a dos moradores de Pripyat.

Pripyat Chernobyl

Chernobyl hoje, cidade de Pripyat, Foto: Paula Rocha

Animais em Chernobyl

Quando o desastre aconteceu os moradores de Chernobyl foram obrigados deixar tudo para trás, inclusive os seus animais de estimação. O acidente nuclear não atingiu somente as pessoas, mas também todo um eco sistema, matando plantas e animais.

Logo após o acidente os soldados receberam ordem para atirar em todos os animais que encontrassem pelo caminho, inclusive entraram nas matas para procurá-los. Eles tinham medo que os animais pudessem contaminar outras pessoas.

Muitos animais foram mortos logo após a tragédia, mas não todos!!!

Alguns animais conseguiram escapar dos soldados e fugiram para as florestas de Chernobyl. Hoje os descendentes desses bichos vivem na área de exclusão.

Estima-se que mais de 500 cachorros vivem na área de exclusão de Chernobyl. É possível vê-los por toda parte, eles vem até a gente, procuram por alimentos e também por um pouco de carinho.

Após a minha visita, eu fiz uma grande pesquisa sobre o acidente Nuclear e descobri que existe uma ONG (anjos) que ajudam os animais de Chernobyl. Vamos conhecer?

Animais de Chernobyl

Funcionários da Usina Nuclear de Chernobyl alimentando os cachorros. Foto: Clean Furure Fund

Ajude os animais de Chernobyl

Todos os anos, nascem filhotes de cachorros em Chernobyl e a população de animais sem teto só está aumentando. A ONG CLEAN FUTURES FUND  tem sido o anjo da guarda desses pobres indefesos.

Animais de Chernobyl precisam de ajuda

Ajude os animais de Chernobyl. Foto: Clean Future, Edição Paula Rocha

O Clean Futures Fund está presente na vida dos animais em várias situações:

  • Anualmente eles realizam uma campanha em prol a saúde e bem estar dos animais. Enfermeiros, veterinários e muitos outros voluntários ajudam na castração, esterilização e na vacinação dos animais.
  • Na compra de suprimentos para os cuidadores locais alimentarem e abrigarem esses animais.
  • Na melhoria da qualidade de vida para aqueles animais que vivem uma vida difícil na zona de exclusão.

Para ajudar esse lindo trabalho e dar uma vida melhor para esses animais você pode fazer uma doação online.

Clique aqui para doar e também para conhecer mais sobre vida desses pequenos animais que vivem em Chernobyl hoje.

Sigam eles também no Instagram e veja que lindinhos os animais não radioativos de Chernobyl

Bichos de Chernobyl

Filhotes em Chernobyl. Foto: Clean Future

Chernobyl vítimas

O desastre em Chernobyl deixou muitas vítimas, não se sabe ao certo quantas foram no total, mas sabe-se que foram centenas de milhares

No dia da explosão do reator 4 em Chernobyl , Dois homens morreram na hora e 28 nos próximos dias.

Nos sete meses seguintes à tragédia, mais de 500 mil pessoas lutavam contra um inimigo invisível, uma batalha silenciosa, que tirou a vida de muitos heróis que trabalharam sem parar para evitar que algo muito pior acontecesse.

Se não fossem esses heróis, mais uma explosão teria acontecido, e essa seria gigantesca, 10 vezes maior do que a de Hiroshima.

Provavelmente com essa explosão metade do continente europeu estaria inabitado hoje em dia e teria destruído completamente Minsk, capital da Bielorussia, Kiev, capital da Ucrânia e diversas outras cidades próximas.

 Chernobyl vitimas

Logo que aconteceu o acidente dezenas de bombeiros, totalmente despreparados para esse tipo de situação, entraram na usina nuclear para tentar apagar o fogo e começaram a jogar água.

Infelizmente a água não fazia efeito nenhum contra aquela explosão, mas eles continuaram jogando mais e mais água sem saber o mau que isso poderia trazer. Apesar da água não fazer efeito contra o incêndio da usina, a radiação fazia muito efeito contra os bombeiros.

Todos os bombeiros foram expostos a uma dose máxima de radiação, e muitos deles morreram semanas mais tarde.

600 pilotos que trabalharam fazendo o sobrevoo sob o reator 4 foram contaminados e faleceram.

Em apenas um ano, 100 mil militares passaram por Chernobyl, todos eles eram reservistas e foram convocados para acabar com a radiação, 400 mil civis também se juntaram ao que é chamado de radiação de Chernobyl. Entre eles, enfermeiros, médicos, engenheiros e outros.

hospital de Pripyat hoje

hospital de Pripyat hoje, Foto: Paula Rocha

Mora alguém em Chernobyl?

Atualmente algumas pessoas moram dentro de Chernobyl, mas não tão perto do reator 4, vamos entender melhor.

Existem 2 zonas de exclusão em Chernobyl, a 1ª inclui tudo a partir da usina até 10km de distância, ou seja, uma área de 10km de raio em torno da usina, onde há diversos lugares realmente radioativos, e outra zona de 30km de raio em torno da usina, onde a radioatividade é similar à encontrada em grandes cidades, porém por questão de segurança também só pode entrar com a permissão, caso entre escondido, a pessoa poderá ser preso.

Na zona mais próxima à Usina Nuclear de Chernobyl, não há moradores. É proibido habitar essa área pelo perigo da radiação. Já na área um pouco mais afastada (de 10km a 30km da Usina) existem cerca de 600 moradores, são eles:

  • 500 trabalhadores de Chernobyl na mais diversas funções, como engenheiros, policiais, cozinheiros, ajudantes gerais, entre outros
  • 100 antigos moradores de Chernobyl que recentemente conseguiram a permissão da governo para voltarem pra suas casas originais.

O interessante é que todos esses antigos moradores são idosos que escolheram viver o restante das suas vidas na sua casa em Chernobyl. Porém, suas famílias, como filhos, netos, etc não podem morar junto com eles, pois o direito só corresponde aos antigos donos das casas e não aos seus primogênitos.

 As pessoas ainda vivem em Chernobyl

apartamento de moradores e trabalhadores de Chernobyl hoje, Foto: Paula Rocha

Chernobyl Visita

Como está Chernobyl hoje, após 33 anos do maior acidente nuclear já ocorrido no planeta terra.

Viajei até a Ucrânia, para entender um pouco mais sobre o acidente nuclear de Chernobyl e vou contar aqui como foi a minha experiência por lá.

Visitar Chernobyl já estava nos meus planos há alguns anos, depois que eu assisti o documentário eu fiquei fascinada pela história. Infelizmente é bem trágica mas teve também grandes heróis… o que me fez sentir muita vontade de conhecer.

A primeira coisa que eu teria que fazer era escolher uma boa agência, afinal, eu estava indo para um lugar que poderia me trazer alguns riscos. Passei alguns dias pesquisando, até que encontrei uma já bem antiga e que incluía tudo o que eu precisaria pra ter uma experiência bem tranquila e livre de stress.

A agência escolhida foi a Chernobyl Welcome, uma agência já antiga no ramo e com um guia muito gente boa.

Chernobyl Welcome

van da Chernobyl Welcome. Foto: Paula Rocha

Quanto custa o tour por Chernobyl?

O tour por Chernobyl custa em média €119 por pessoa, mas esse valor já inclui tudo o que você possa precisar:

  • Permissão de entrada para zona de exclusão de Chernobyl
  • Transporte em van com ar condicionado e Wi-Fi
  • Almoço com bebida
  • Guia credenciado
  • Seguro saúde
  • Cartões postais
  • Jornalzinho informativo
  • Imã de geladeira
  • Medidor de radiação
  • Geiger Muller
Aparelho de medir radiação

Aparelho de medir radiação (geiger muller), oferecido sem custos pela empresa Chernobyl Welcome. Foto: Paula Rocha

Preciso reservar o tour de Chernobyl com antecedência?

Para visitar Chernobyl é preciso reservar o tour com pelo menos 5 dias de antecedência. Assim que você entra em contato com a agência,  é necessário pagar uma porcentagem do valor do tour e enviar uma foto do passaporte pra eles.

O restante do valor, você pagará apenas no dia do seu passeio.

Clique aqui e consiga ir com um grupo menor sem gastar muito com isso.

Visitar Chernobyl exige um documento de  permissão de entrada, caso o mesmo não seja feito com alguns dias de antecedência é necessário pagar uma taxa por fora de quase €50, ou seja, melhor se atentar e reservar o tour antes não é mesmo?

Todo o processo burocrático é realizado pela própria agência, e o documento de acesso à Chernobyl é entregue para você no dia do tour.

O ponto de encontro para  pegar o tour para Chernobyl  é praticamente em frente a estação ferroviária de Kiev e o horário marcado é 7h30 da manhã. Eu estava hospedada ao lado da ferroviária e foi só atravessar a rua.

Documento de Acesso para Chernobyl

Autorização de Acesso para Chernobyl

Onde Ficar?

Kiev é a capital da Ucrânia e tem muitos hotéis, como eu iria passar uma semana por lá, precisava de um hotel bom e barato que tivesse uma boa localização, perto de metrôs, restaurantes e principalmente próximo do ponto de encontro para o tour de Chernobyl.

Escolhi o Íbis Kiev porque sempre atende as minhas necessidades e não me faz gastar um rio de dinheiro

O quarto era padrão íbis, não muito grande, mas a cama era bem confortável, tinha um mini bar e um banheiro com uma boa ducha de água quente

Dica: existem outros íbis na cidade, o que eu fiquei era o Íbis Kiev Railway Station

onde ficar em kiev

Quarto do hotel Ibis em Kiev. Foto: Paula Rocha

Sobre o tour com a Chernobyl Welcome

Eu cheguei no local do encontro as 7h30 como combinado, a van e o guia já estavam lá para receber o pessoal do tour. Éramos em 17 pessoas, sendo 7 brasileiros, sim nós estamos por todo canto hehehe

Dica: Muitas empresas fazem o passeio com grupos de mais 40 pessoas (ônibus), procure tentar fazer o tour com grupos menores (van), com certeza a sua experiência será melhor.

Entrei na van e após algumas instruções, recebi um jornalzinho informativo, com mapa e algumas curiosidades, o jornal estava datado com a data em que aconteceu o acidente nuclear de Chernobyl, o que acabou deixando o tour ainda mais interessante.

O trajeto até a primeira área de exclusão (30km da usina nuclear de Chernobyl) demorou em média 2 horas. No caminho a van parou em um posto de conveniência, onde é possível tomar um café, ou até mesmo comprar uma água e alguma coisa pra dar uma beliscada no caminho. A parada demora em média 15 minutos.

Assim que chegamos no portão da área de exclusão já recebemos um aparelho que marca a radiação que fora tomada durante o dia todo dentro de Chernobyl. No final retornaremos pelo mesmo local que entramos, faremos essa medição e os aparelhos são devolvidos.

medidores de radiação de Chernobyl

medidores que marcam quanta radiação pegamos durante o tour por Chernobyl, dois modelos diferentes.

Logo na entrada do portão tem duas lojas de souvenir, a maioria das agência não oferecem o medidor de radiação, se esse for o seu caso, poderá alugar o aparelho por $10.

Na verdade não é obrigatório alugar o medidor, você pode entrar sem ele sem problemas nenhum, mas eu achei bem interessante  ficar medindo o nível de radiação das coisas durante o tour.

Aparelho que mede a radiação das coisas

aparelho que mede a radiação de das coisas

O que fazer em Chernobyl?

Chernobyl, como eu expliquei mais acima, trata-se de uma grande área, onde podemos encontrar vilarejos e cidades inteiras totalmente vazias.

A primeira parada do tour foi no letreiro de Chernobyl, onde fizemos uma parada de pouco mais de 5 minutos, tempo o suficiente para fazer algumas fotos e seguir.

Anjo de Chernobyl

Poucos minutos a frente, fizemos uma segunda parada, no monumento Anjo do Apocalipse. Feito de barras de ferro, o anjo que representa o fim do apocalipse.

Muitas pessoas acreditam que o Anjo de Chernobyl significa que o desastre de Chernobyl já estava profetizado na Bíblia sagrada.

E o terceiro anjo tocou a sua trombeta, e caiu do céu uma grande estrela ardendo como uma tocha, e caiu sobre a terça parte dos rios, e sobre as fontes das águas.
E o nome da estrela era Absinto, e a terça parte das águas tornou-se em absinto, e muitos homens morreram das águas, porque se tornaram amargas.

Apocalipse 8:10,11

No chão abaixo do anjo, existe um mapa de Chernobyl feito de concreto é um corredor de placas com o nome dos vilarejos e cidadezinhas que ficam dentro da área delimitada de Chernobyl. O tempo de parada por ali é de mais ou menos 15 minutos.

Muitas pessoas tem curiosidade sobre o que significa Chernobyl e se o nome foi dado após o acidente nuclear. Chernobyl significa Absinto (uma planta amarga que é usada como repelente e também para fazer a bebida Absinto. O nome Chernobyl foi escolhido muito antes do acidente, devido a isso, muitas pessoas acreditam que o acidente já estava realmente profetizado.

Anjo do Apocalipse, Chernobyl, zona de exclusão

Anjo do Apocalipse, Chernobyl, zona de exclusão, Foto: Paula Rocha

Sarcófago de Chernobyl hoje

A terceira parada  já é na Usina de Chernobyl, onde está o reator 4 que hoje encontra-se coberto com um sarcófago feito de chumbo.

O primeiro Sarcófago de Chernobyl foi projetado para durar 30 anos, e envolveu mais de 400 trabalhadores em sua construção.

Chernobyl hoje conta com um novo Sarcófago, que foi colocado em 2016. A estrutura de 110 metros de altura e 257 de largura foi colocada por cima do antigo sarcófago.

Em pouco tempo começará a remoção do antigo sarcófago de Chernobyl, e isso fará com que novos trabalhadores corram riscos de pegar radiação, o mesmo tem que ser removido devido aos riscos de colapso, podendo comprometer a nova cobertura.

Como ele foi feito às pressas, apresentou muitas falhas e com o tempo começou a entrar água, correndo parte da estrutura. Se a estrutura do antigo sarcófago ceder uma nova catástrofe pode acontecer.

O desmanche do antigo sarcófago deve ser finalizado até o ano de 2023.

Novo sarcófago de Chernobyl

Novo sarcófago de Chernobyl, Foto:Paula Rocha

Construção do novo sarcófago

A Ucrânia não tinha dinheiro o suficiente para construção do novo sarcófago que custaria mais de 8 bilhões de reais. Com as obras atrasadas e a preocupação de futuros novos vazamentos.

O governo da Ucrânia recorreu a ajuda de 43 outros países para poder pagar o novo sarcófago de Chernobyl.

A Ucrânia não faz parte da União Europeia, entretanto, se o reator não fosse coberto novamente, muitos países seriam atingidos pela radiação.

Foram necessários quase 90 mil trabalhadores para a construção do novo sarcófago que está em Chernobyl hoje

Apesar das obras do novo sarcófago terem demorado um pouco para começar, ele foi colocado exatamente 30 anos após o acidente, ano em que a “validade” do antigo sarcófago chegava ao fim.

O novo sarcófago foi construído para durar em média 100 anos, e somente no ano de 2116 ele será substituído por um novo. Ele pesa 36 mil toneladas e mede 108 metros de altura e 162 de comprimento.

Nessa segunda parada, podemos ficar muito próximos ao reator 4. Essa parte é um pouco tensa, a gente fica com medo

O interessante mesmo, é que próximo ao reator o aparelho medidor de radiação não sobe quase nada. Nosso guia nos disse que mesmo estando perto, toda aquela área foi limpa centenas de vezes, tirando boa parte da radiação.

Mesmo com os reatores desativados, muitas pessoas trabalham lá dentro todos os dias. Uma coisa que muitos me perguntaram foi sobre o que tem dentro do sarcófago de Chernobyl.

Dentro do sarcófago de Chernobyl tem muito material radioativo. Estima-se que tem 200 toneladas de Cúrio, 30 toneladas de pó contaminado, cerca de 16 toneladas de urânio e plutônio e o mais mortal de todos eles, o pé de elefante de Chernobyl.

Power plant Chernobyl

Reator nuclear de Chernobyl, Fotos: Paula Rocha

Pata de elefante Chernobyl

Uns o conhecem por pé de elefante, outros por medusa de Chernobyl, os guias a chamam de pata de elefante, é sobre ela que vamos falar agora.

A pata de elefante de Chernobyl é o lixo radioativo mais perigoso do mundo e se formou dentro das entranhas do reator 4 logo após o acidente nuclear de 26 de abril de 1986.

O lixo radioativo foi batizado por Pata de Elefante de Chernobyl devido  sua aparência ser similar a de uma grande pata de elefante.

A enorme massa radioativa  foi encontrada alguns meses depois do acidente pelos funcionários que trabalharam bravamente para conter a radiação.

A pata emite tanta radiação, que mesmo depois de tantos anos, o contato com ela pode ser fatal.

  • Uma exposição de 30 segundos resultariam em tontura e fadiga.
  • Em dois minutos suas células entrariam em processo de hemorragia.
  • Uma exposição de 4 minutos resultariam em diarréia, febre e vômito.
  • Com 5 minutos perto da Pata de Elefante de Chernobyl, você teria apenas mais dois dias de vida.

A pata de elefante também ganhou o apelido de  medusa nuclear, que significa “se você olhar, você morrerá”. Realmente é muito sinistra.

Pata de elefante de Chernobyl

Pata de Elefante de Chernobyl (medusa nuclear) pé de elefante

O que tem na Pata de Elefante de Chernobyl?

Quando o acidente aconteceu e as chamas começaram, muitos helicópteros sobrevoaram a usina despejando concreto, areia, terra e chumbo dentro do reator. Como a temperatura era muito alta, muitas dessas coisas derreteram e se misturaram com o calor isolado do combustível nuclear (urânio).

Após esse derretimento, a mistura se tornou uma espécie de lava, parecida com as lavas de um vulcão tornando-se córium. Ela foi escorrendo, andar por andar, até chegar no porão do reator 4.

A pata de elefante tem dois metros de comprimento por 1 metro de largura e pesa em torno de 12oo quilos. A radiação emitida pela pata é de 10.000 roentgens por hora, sendo o equivalente a milhões de raio x do torax de uma só vez.

Após a descoberta e a morte das pessoas que chegaram perto da pata, robôs foram enviados ao porão do reator, com a intenção de fotografar o pé de elefante, mas a alta radiação danificou os robôs que pouco tempo depois pararam de funcionar. Só de pensar já da nervoso.

Ficamos cerca de 20 minutos próximo do sarcófago de Chernobyl e depois  e seguimos para a cidade de Pripyat, a cidade mais próxima da usina, com apenas 3km de distância.

Trabalhadores entrando dentro de reator 4.

Trabalhadores entrando dentro de reator 4. Foto: Paula Rocha

Pripyat, a cidade fantasma de Chernobyl

A cidade de Pripyat foi fundada no dia 4 de fevereiro de 1970, seu objetivo era abrigar as pessoas que estavam trabalhando na usina nuclear. Pripyat hoje, mesmo depois de 33 anos do acidente mostra o quão perfeita era.

Morar em Pripyat era o sonho de muitos ucranianos, a cidade foi planejada para ser um lugar dos sonhos para se viver, e foi, mas por muito pouco tempo.

No ano de 1979 Pripyat foi oficialmente considerada cidade, nessa época ela estava no auge e morar la já era visto como um objetivo de vida pelas pessoas das cidades vizinhas.

Mapa de Pripyat, Chernobyl

Mapa de Pripyat, Chernobyl. Foto: Paula Rocha

A cidade de Pripyat hoje encontra-se vazia, a não ser pelos cachorros e outros animais silvestres que moram por ali. Vimos somente cachorros e também alguns alces.

Pripyat foi a mais afetada das áreas de Chernobyl, e hoje, mesmo depois de 33 anos do maior acidente nuclear da história da humanidade, ainda existe muita radiação por lá. muito mais do que em volta do próprio reator 4, hoje fechado com o novo sarcófago.

Apenas 3 km de distancia separa o local do acidente de Pripyat, uma cidade modelo que acabou virando fantasma. O acidente foi tão, tão forte, que até hoje existem várias coisas em Pripyat com muita radiação.

Cidade fantasma de Pripyat

Cidade fantasma de Pripyat hoje. Foto: Paula Rocha

Tour por Pripyat Ucrânia

Chegamos em Pripyat ao meio dia em ponto, a cidade parecia estar perdida no meio da floresta e  mesmo com tanto mato você percebe que as construções são bem modernas, ainda mais levando em conta que ela foi planejada nos anos 70.

Descemos da van e seguimos com nosso grupo de 17 pessoas e o Max que era nosso guia, atravessamos por dentro do mato que tomava conta da cidade e seguimos para dentro de alguns edifícios abandonados.

objetos de Pripyat Chernobyl

por dentro das construções abandonadas de Pripyat. Foto: Paula Rocha

Como nosso grupo não era muito grande e também era início de semana, pudemos entrar em todos os ambientes dos principais edifícios. Já nos finais de semana e com grupos maiores isso fica bem inviável, dado a quantidade de cacos de vidros, objetos pontiagudos e muita, mais muita tranqueira, andar dentro desses lugares pode ser mais perigoso.

Pripyat, cidade fantasma

Por dentro do jardim de infância de Pripyat,

Um dos edifícios que mais me chamou a atenção foi o do jardim de infância, tem muitas objetos que impressionam, retratando bem o que foi o acidente.

Bonecas, livros de história, berços, cadeirinhas, lousas e muitos outros brinquedos estavam espalhados por toda parte, alguns até pareciam cenários montados para um filme de terror. As imagens retratam bem como está Chernobyl hoje.

  • Importante: Mesmo que pareça inofensivo, não toque em nada, o inimigo é invisível aos olhos.
brinquedos de Chernobyl

brinquedos de Chernobyl. Foto: Paula Rocha

 Chernobyl hoje/Parque de diversões abandonado

O parque de diversões de Chernobyl é uma das coisas que mais impressionam.  Olhando de longe até parece que a roda gigante com suas 20 cabines amarelas estão em bom estado de conservação. Nas fotos nem parece que está tudo abandonado há tanto tempo.

Parque de diversões de Chernobyl

Parque de diversões de Chernobyl hoje em dia. Foto: Paula Rocha

O parque nem chegou a ter a sua inauguração, muitos falam que ele nunca funcionou, mas ele funcionou sim, e no dia após o desastre.

Na madrugada do dia 26 de abril de 1986 acontecia o maior desastre nuclear do mundo, o parque de diversões chegou a funcionar nesse mesmo dia, para fins de não causar pânico nos moradores de Pripyat, que até então, não sabiam nada concreto sobre o desastre nuclear.

brinquedo do parque abandonado de Chernobyl

brinquedo do parque abandonado de Chernobyl. Foto: Paula Rocha

O espaço onde está o parque abandonado de Pripyat é uma das áreas mais contaminadas pela radiação, foi lá que os helicópteros usados para jogar areia nos reatores foram lavados todos os dias, causando um solo altamente radiativo.

Aparelho que mede a radiação das coisas

radiação alta no lugar onde os helicópteros eram lavados. Foto: Paula Rocha

Nível de radiação em Chernobyl

Durante o tour nós passamos por vários edifícios, como o supermercado (Primeiro da união soviética), a casa da cultura, onde tinham as festas e também funcionava uma discoteca, passamos também por onde era o estádio, hoje tomado pelo mato e apenas com uma torre de luz em pé.

O maior nível radiativo que encontramos lá em Chernobyl foi no prédio do hospital, o dosímetro chegou a marcar mais de 300 quando colocado próximo a uma atadura usada por um bombeiro que faleceu dentro do hospital.

Uma das coisas mais contaminadas pela radiação em Chernobyl é o solo. Engana-se quem pensa que toda vegetação está morta por lá, tem até árvores frutíferas, altamente radiativas mas tem!

Ficamos cerca de 2 horas dentro de Pripyat, após a nossa visita retornamos para perto do reator, onde tem um restaurante que é  servido almoço para os trabalhadores e para as pessoas do tour.

cogumelo radiativo no solo de chernobyl

cogumelo radioativo no solo de chernobyl. Foto: Paula Rocha

Comer e beber dentro da zona de exclusão

Como o tour por Chernobyl durou o dia inteiro e não poderia entrar na zona de exclusão com comida , por volta das 2 da tarde chegamos na cantina de Chernobyl.

Restaurante dentro de Chernobyl

Restaurante dentro de Chernobyl

Na porta da grande cantina a gente passa por um controle de radiação, lá dentro trabalham várias pessoas para o restaurante funcionar.

O almoço era simples, mas bem farto. Tinha salada de maionese, repolho e cenoura ralada, sopa, frango, macarrão branco, tomate, pão e dois tipos de sucos.

Como nosso tour já estava com o almoço incluso no valor,  só chegamos e nos servimos.

Comida do tour de Chernobyl

Comida do tour de Chernobyl. Foto: Paula Rocha

Souvenir de Chernobyl com Preços

Dentro da Cantina também tem um lugar para comprar lembrancinhas de Chernobyl, a mesma loja que tem do lado de fora da área de exclusão. São aceitos dinheiro em espécie, cartões de crédito Visa e Mastercard.

Lojinha dentro do restaurante de Chernobyl

Lojinha dentro do restaurante de Chernobyl. Foto: Paula Rocha

Compramos algumas coisas na lojinha, mas pegamos na que está do lado de fora mesmo, o preço é melhor em algumas coisas.

Entre as lembrancinhas você pode encontrar:

  • Camisetas de Chernobyl 600 UAH R$50
  • Canetas de Chernobyl 30 UAH30  R$5
  • Imãs de geladeira de Chernobyl hoje UAH60  R$10
  • Máscaras de gás UAH500  R$70
  • Patentes entre 30 e 90 UAH R$5 e R$15
  • Lata de ar de Chernobyl 160 UAH  R$27
  • Boné de Chernobyl 300UAH  R$50
  • Mochila de Chernobyl hoje 300UAH  R$50
  • Bandeira de Chernobyl 300UAH  R$50
  • Cartela com 3 adesivos pequenos de Chernobyl 30UAH  R$5
  • Albúm com foto do reator 380UAH  R$62

O Chernobyl Welcome presentiou a todos do grupo com 3 cartões postais cada e um imã de geladeira

cogumelo radiativo no solo de chernobyl

cogumelo radiativo no solo de Chernobyl com preços. Foto: Paula Rocha

 Duga 3, radar de inteligência militar soviética

A última parada do tour por Chernobyl foi bem interessante, a van nos levou até um lado da floresta onde parecia não ter nada, mas tinha e não era nada pequeno.

Logo no portão de entrada a gente percebe que está chegando em uma área meio escondida e está mesmo.

Duga 3, satélite em Chernobyl

Duga 3, satélite em Chernobyl conhecido como pica pau . Foto: Paula Rocha

Em poucos minutos de caminhada você se depara com um gigantesco radar de espionagem, coisa grande mesmo, olhem a foto pra terem um ideia.

O Duga 3 é um radar que foi construído pelos soviéticos para detectar bombas na época da Guerra Fria.

Segundo nosso guia o o espião de ferro  tinha o apelido de pica-pau russo, devido emitir frequências com som parecido com a do pássaro bicando as árvores.

Duga 3, radar de espionagem russo. Foto: Paula Rocha

Interferência do pica-pau

A frequência emitida pelo Duga 3 chegava a causar interferência nas emissoras de rádio e até mesmo no controle de aviação. Com a queda da União Soviética, o radar foi descoberto e parou de funcionar.

Duga 3 Pica-pau russo em Chernobyl.

Pica-pau russo em Chernobyl. Foto: Paula Rocha

Durante o tour pelo radar nós vimos coisas interessantes, como um desenho de um menino caçando Pokemon e também entramos dentro do prédio de comando das torres de espionagens. No prédio havia muitas salas com computadores quebrados e móveis inteiramente destruídos.

Pokemon go em chernobyl

Pokemon go em chernobyl, grafites. Foto: Paula Rocha

  • Cuidado: dentro das salas de controle tem muita coisa enferrujada, se o tétano tem uma casa, com certeza é la.

Já estava escurecendo quando entramos na van e seguimos para o controle de entrada, descemos da van e passamos novamente pela máquina de controle de radioatividade.

Saída de Chernobyl, máquinas para medir a radiação

Saída de Chernobyl, máquinas para medir a radiação. Foto: Paula Rocha

Graças a deus estava tudo bem com todos do nosso grupo, entregamos o contador de radiação para o nosso guia e também o Geiger Muller.

Na saída aproveitamos para comprar as nossas lembrancinhas, subimos na van e fomos embora bem satisfeitos com o tour e com o guia.

souvenir de Chernobyl

comprinhas e presentinhos da Chernobyl Welcome

Chernobyl filmes e séries

A minha vontade de conhecer Chernobyl já vem de muito tempo, após ter assistido o documentário pela internet eu fiquei muito impressionada com tudo e coloquei na minha listinha de viagens.

Com o sucesso da minissérie de Chernobyl (2019) exibida pela HBO muitas pessoas estão visitando ou querendo visitar Chernobyl, que hoje tornou-se a maior atração de toda Ucrânia.

Para aqueles que gostam de filme de suspense, meio terror hahaha, Chernobyl também aparece no filme  O Diário de Chernobyl 

Uma coisa também interessante é que o clipe da música Marooned de Pink Floyd mostra algumas cenas de Chernobyl hoje e antes do acidente.

Veja também no Instagram da Mala Rosa como foi nossa visita por Chernobyl e por todo território ucraniano.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Go top