Top

O que fazer em Colmar na França – principais atrações

Colmar está situada na região Grand-Est na antiga (e ao mesmo tempo presente) região da Alsácia. Antes da “reforma” das regiões, o Grand-Est era, na verdade, 3 regiões: Alsace, Lorraine e Champagne-Ardenne. Colmar é a 6° maior região e a 3° da Alsácia.

Uma cidade de tamanho médio, com quase 70.000 habitantes, localizada entre Estrasburgo e Mulhouse, e com um charme Alsaciano quase sem igual.

A partir de agora vocês terão uma ideia do que fazer em Colmar na França, onde a cultura da região está presente em todos os lados.

Como chegar em Colmar

Colmar está localizada no Centro da Alsácia. Há ligações diretas de trem, ônibus ou blablacar (carona). A cidade é bem servida quando o assunto é locomoção. Veja abaixo algumas opções para sua chegada e colocar em prática o que fazer em Colmar na França.

Avião

Os aeroportos mais próximos da cidade são: EuroAirport (localizado na tríplice fronteira, servindo 3 países: França, Suíça e Alemanha) e, que apesar de se chamar “EuroAirport Mulhouse (FR) – Basel (CH) – Freiburgo (DE)”, está localizado na cidade de Saint-Louis, que fica a 58km do Centro de Colmar. E; além disso, o aeroporto de Estrasburgo que fica a 72km.

Ao pousar em uma dessas cidades, uma ligação extra de trem ou ônibus é necessária até chegar em Colmar.

*FR = França
CH = Suíça (Confederação Helvética)
DE = Alemanha (Deutscheland)

Veja também: Melhor época para ir a Estrasburgo na França

Trem

Saindo de Paris há conexões diretas de trem, com o TGV (train à grande vitesse, ou em português: trem de alta velocidade). Os preços variam variam de acordo com a época e com quanto tempo de antecedência você comprar a passagem. Você pode acessar o site da companhia de trem aqui e fazer uma simulação.

Ao mesmo tempo, fiquem sempre ligados, há poucos anos a SNFC (companhia de trens da França) lançou o OUIGO que é o TGV low cost, eles fazem varias promoções e você consegue achar passagens de Paris a Colmar por 10€.

O Sistema ferroviário da França é gigante, portanto, saindo de Colmar há conexões diretas para muitas outras cidades da França (Saint-Louis, Estrasburgo, Mulhouse, Metz…) bem como com conexões (Marseille, Bordeaux, Nantes…).

Ônibus

A principal empresa de ônibus na França, e até mesmo na Europa, é a Flixbus. Você consegue encontrar passagens ligando as principais cidades francês entre elas e com outras cidades europeias.

Há conexão direta ligando Paris, Estrasburgo, Saint-Louis, Mulhouse (entre outras) a Colmar. Outra empresa bastante conhecida dos franceses é a BlaBlaBus.

Acesse aqui o site da Flixbus, e aqui o da Blablabus.

Centro histórico

Passear por Colmar ao longo do cais, nos seus bairros históricos e nas suas ruas de paralelepípedos é uma delicia. E é até difícil se perder, porque há sempre uma sinalização precisa dos principais monumentos com indicação da hora de ir de um ponto a outro.

Por outro lado você pode se perder e se deliciar pelas ruas charmosas da cidade.

Centro Historico Colmar

Centro Histórico de Colmar – Michel Wendling

Também pode deixar-se guiar por uma marcação no chão de 500 flechas em forma de triângulo com a efígie da Estátua da Liberdade, obra de Auguste Bartholdi, que nasceu em Colmar.

Este circuito, que permite visitar Colmar e os seus locais emblemáticos, é pontuado pelas suas obras.

O local de nascimento de Auguste Bartholdi foi transformado em um museu: 30 rue des Marchands. A entrada custa 6,70€.

O que fazer em Colmar na França

Centro Histórico de Colmar – Michel Wendling

Pode te interessar: O que fazer em Estrasburgo na França

Marché couvert (Feira coberta)

A feira coberta foi construída em 1865 nas margens do Lauch, no bairro histórico e foi desenhada pelo arquiteto Louis-Michel Boltz em 1856. Até 2010 o Hall da feira servia como estacionamento e as quintas-feira como feira.

A saber, em setembro de 2010 o prédio voltou a ser uma feira permanente, aberta de terça a sábado e, a partir de 2016, aos domingos de 10h às 14h. Quinta-feira continuou sendo dia de feira com outras barracas sendo montadas ao redor.

Lá você vai descobrir produtos locais de boa qualidade e especialidades da Alsácia. Tome aquele cafezinho na esplanada com vista para o Lauch.

Dica: Se puder, experimente o famoso pretzel, não somente ele, mas acompanhado por uma cerveja local ou uma taça de vinho.

Marché couvert - Colmar

Marché couvert em Colmar – Michel Wendling

Petite Venise – Colmar

A Petite Venise (Pequena Veneza) é o nome dado ao córrego Lauch. Este nome deriva do alinhamento original das casas das duas margens do rio que serve a zona sudeste da cidade. Este bairro começa atrás do Koïffhus, passa pelo cais da peixaria, para chegar às pontes Turenne e Saint-Pierre.

Na Idade Média, o canal era usado por horticultores para irrigar e transportar seus produtos em barcos de fundo chato e entregá-los diretamente ao mercado coberto.

A vista da ponte da rue Turenne é maraaa e você vai certamente entender porque o bairro tem o apelido de Pequena Veneza.

Do mesmo modo você pode dar um passeio nos famosos barcos e passear ao longo da antiga área de jardim transformada em zona residencial. Certeza que você não vai se arrepender.

Passeio de barco: Custo: 7€ // Duração: 25 minutos. Você pode obter mais informações sobre o passeio clicando aqui.

Colmar - O que fazer

Petite Venise em Colmar – Michel Wendling

Estátua da Liberdade – curiosidades de uma das principais atrações de Colmar na França

Eventualmente você deve estar pensando: esse Michel anda tomando muito vinho e muita cerveja alsaciana. Hahahaha Mas a verdade é que não. Quer dizer… Sim, tomo muito vinho e cerveja (adoro), mas estou consciente!

A verdade é que o criador da Estátua da Liberdade (sim, a que está lá em New York nos EUA) é o escultor Auguste Bartholdi nascido em Colmar.

Em contraste com a estátua “original” em NY, a de Colmar está em um lugar, digamos, menos glamuroso. Acho que os franceses acordaram sem muita inspiração (provavelmente não tinham comido a baguete nossa de cada dia) e resolveram colocá-la no meio de uma rótula. Pois é…

Alguém tinha que ter dado antes uma baguete ou um croissant para a pessoa que teve essa idéia “magique” (só que não).

Em resumo, digamos que não é tão fácil tirar uma foto com a abençoada. Você pode tirar de dentro do carro ou estacionar próximo a querida (há um estacionamento nas redondezas), descer, atravessar a rua, levar uma buzinada e voilà, uma foto na Madame Liberté de Colmar. Haha

Alemanha: O que fazer em Bonn

Estatua da Liberdade

Estátua da Liberdade em Colmar na França – Michel Wendling

Koifhus – Ancienne Douane

Os Koifhus ou Antiga Alfândega ocuparam um lugar estratégico na confluência da Grande rue e da Rue des Marchands, dois dos principais eixos de tráfego da cidade medieval.

O Koifhus é o edifício público local mais antigo. Desde a sua criação, teve uma função dupla. O andar térreo era utilizado como armazém e local de tributação de mercadorias importadas e exportadas.

O andar superior abrigava as reuniões dos deputados da Decápolis, federação de dez cidades imperiais da Alsácia, criada em 1534. O Magistrado assim também se reunia ali.

A Revolução aboliu os privilégios comerciais e o edifício foi dedicado a outros usos. Em 1840 foi utilizado como teatro. Bem como entre 1870 e 1930 foi ocupado pela Câmara de Comércio e Indústria e como uma escola católica para meninos e uma escola Israelita no final do século XIX.

Hoje o prédio hospeda eventos e atividades públicas.

Fato interessante e lenda

Na praça, os abatedores abatiam as vacas cujas peles eram então ressecadas no bairro dos curtidores, localizado do outro lado da Fonte de Schwendi. Passando na frente das casas, você pode ver que as janelas superiores serviam para secar para evitar os odores.

Existe uma lenda sobre o General Schwendi. Diz-se que a videira que ele segura na mão foi trazida de volta em 1565, após uma vitória sobre a cidade de Tokay, na Hungria.

Esta uva deu seu nome ao vinho da Alsácia Tokay Pinot Gris. Desde 2007, o termo Tokay está reservado para vinhos húngaros e permanece apenas com a designação Pinot Gris.

Le Quai de la Poissonnerie

O Cais da Peixaria é onde residia a maioria dos pescadores profissionais da cidade, unidos aos barqueiros em uma poderosa corporação. Imaginem que até a década de 1950 os peixes vivos eram mantidos em viveiros do rio e vendidos diretamente no cais.

Ao longo do cais você pode admirar as belas casas de einxaimel, melhor ainda no verão quando tudo está muito florido.

Noruega: O que fazer em Tromso

Quai de la Poissonnerie

Quai de la Poissonnerie – Michel Wendling

Curiosidade e incêndio

Aparentemente, a cor de cada casa indicava uma profissão ou até uma religião:

  • amarelo para os comerciantes de pão,
  • o azul para os de madeira, mas também de peixe e bastante ocupada por católicos,
  • o vermelho para os de ferro, mas também de carne e pertencentes a protestantes.

Em 1706 um grande incêndio destruiu mais de 40 casas na área. De 1978 a 1981, um extenso trabalho de restauração permitiu atualizar o enxaimel de muitas casas neste distrito que forma a junção entre o distrito de Tanners e “Petite Venise”.

Culinária local – restaurantes, onde e o que comer em Colmar na França

A culinária da Alsácia é riquíssima e Colmar é um excelente lugar para você poder experimentar os mais variados pratos da região. Vou citar alguns pratos super famosos da região:

Belarus: dicas de Minsk

Especiarias

Tarte flambée:

É composto por um rolo fino de massa composta por farinha, água, óleo e sal, e coberto com creme de leite ou queijo cottage (ou uma mistura de ambos: Bibeleskäs), cebolas em rodelas e bacon, e assado em um forno de pão muito quente.

A tarte flambée também pode ser coberta com diversos ingredientes. É quase uma pizza, mas não fale isso para os alsacianos. Hahaha

Tarte Flambée - Colmar

Tarte Flambéé Michel Wendling

Choucroute:

É um prato feito com repolho picado finamente processado por lacto-fermentação, geralmente acompanhado de algumas guarnições como alguns tipos de salsichas, carne de porco, batatas e bacon.

Choucroute

Choucroute – Michel Wendling

Foie gras:

É o patê do fígado gordo do ganço ou pato. Ele pode ser consumido cru, meio cozido ou cozido, e pode ser oferecido na forma de produtos frescos ou enlatados, consumido sozinho ou como acompanhamento de outros pratos.

A sua produção é bem peculiar, como resultado o prato é símbolo de muitas críticas e proibidos em diversos países. Na França, o foie gras é considerado como um patrimônio cultural e gastronômico protegido pelo país.

Foie gras

Foie Gras – Michel Wendling

Pain d’épices:

É um bolo de mel, complementado com várias especiarias, como canela, coentro, gengibre e anis.

Pain d'épices

Pain d’épices (fonte Google) – Michel Wendling

Bons restaurantes de gastronomia francesa / alsaciana em Colmar

  • Le petit Scholssberg ($$): 2, rue de l’Ange 68000 Colmar
  • Le Colmar ($$): 1, rue Saint-Martin 68000 Colmar
  • À l’échevin ($$$): 4/6, place des Six Montagnes Noires 68000 Colmar
  • Au chasseur ($$): 4, rue du Chasseur 68000 Colmar

Onde se hospedar em Colmar

Antes de mais nada é importante saber que há em Colmar uma grande variedade de hotéis, de econômicos a hotéis de luxo. Separei abaixo algumas opções com boa relação qualidade-preço.

SIMPLES, MAS CONFIÁVEL. $$

Eu sempre falo dele, porque conheço muito bem a rede e as chances da gente se decepcionar com esse hotel são baixíssimas. O IBIS COLMAR CENTRE tem uma localização excelente, no meio do centro Histórico da cidade.

Como eu sempre digo, o Ibis é uma boa opção de estadia, sobretudo com seus quartos padrões e preços baixos, o hotel está sempre lá atendendo as nossas necessidades.

  • Diária para 2 pessoas a partir de 75€.

HOTEL/APARTHOTEL $$$

Se ao mesmo tempo você prefere juntar conforto, praticidade e economia, o OLDALYS CITY COLMAR é uma excelente opção. Quartos confortáveis e modernos e que também são equipados com cozinha.

  • Diária para até 2 pessoas a partir de 85€.

LUXO $$$$

Agora, ma chérie, se dinheiro não for problema… Nesse sentido, voilà o hotel que vai te satisfazer: RELAIS & CHÂTEAUX LA MAISON DES TÊTES. Hotel de luxo super bem avaliado, com diversas facilidades e no coração histórico da cidade de Colmar. Já sinto o gosto do champagne e do Pinot Gris. Santé (saúde em francês ao brindar) !!!

  • Diária para até 2 pessoas a partir de 320€.

Conclusão dos pontos turisticos de Colmar na França

Em conclusão, Colmar é uma cidade que atende aos mais variados gostos. Requintada, rica em história e cultura, é o tipo de lugar que vai te fazer viajar no tempo e nas delicias da culinária local. E, com certeza, você sai de lá já querendo voltar.

Uma atração imperdível co coração da Alsácia. Fique ligado aqui no site, porque no próximo artigo eu vou falar sobre a rota do vinho na Alsácia.

Espero que você tenha gostado dessas dicas sobre o que fazer em Colmar na França e nos encontramos nos próximos artigos.

Do mesmo modo, aconselho você a acompanhar os meus outros artigos abaixo e descubra mais lugares pitorescos.

O que visitar na região da Alsácia na França.

Como é voar com a Swiss na classe executiva em 2021

O que fazer em Lucerna na Suíça – 5 atrações imperdíveis

Melhor época para viajar para a Suíça: quando ir

O que fazer em Estrasburgo – 10 atrações imperdíveis 

Melhor época para ir a Estrasburgo

Como é voar na executiva da Qatar

 

Por outro lado, você também pode acompanhar mais dicas e como é a vida na Europa através do meu Instagram @michelrwendling.

Merci et à la prochaine ! (Obrigado e até a próxima).

Ou, como dizemos em Alsacien (dialeto local):

Merci vielmols.

post a comment