Top

Dicas Pantanal

Considerado o maior e mais rico bioma inundado do mundo, o Pantanal te dá as boas-vindas não importa o dia! Faça chuva ou faça sol, o Pantanal está pronto para te receber! E para aproveitar ao máximo tudo o que ele oferece, confira neste artigo as principais dicas sobre o Pantanal: como chegar, cuidados com crianças, onde ficar, onde comer, curiosidades, principais informações sobre a fauna e flora locais e muito mais.

Decorrente do grande período de chuvas, o Pantanal está constantemente alagado entre outubro e março, fazendo com que os campos, inicialmente planos e isolados, se conectem com rios e lagoas, criando um espetáculo de água e plantas submersas. Isso, para um amante da natureza, é uma obra de arte viva, né?

Dica: confira o post completo sobre o que fazer no Pantanal.

Aliás, falando em natureza… Não é brincadeira a fauna do local: são mais de 50 espécies de répteis, 80 de mamíferos e mais de milhares de aves! Um belo cenário para um safári fotográfico, não acha?

Ah, e diferente do que muito se é pensado, as árvores de lá não morrem com a inundação, muito pelo contrário! A terra fica fertilizada e a vegetação ganha uma beleza única: a beleza que caracteriza o verdadeiro Pantanal.

Então, vamos conhecer um pouco mais sobre esse paraíso nacional?

Preservação ambiental no Pantanal

Por ser um destino com grande reserva natural e fauna e flora únicas, o Pantanal infelizmente se tornou vítima de grotescas ações humanas, desde queimadas à extinção de animais nativos.

Em contrapartida, projetos de preservação e conservação ambiental também miraram o Pantanal, visando reverter a triste situação.

Por exemplo, o Projeto Arara Azul está na ativa desde 2003 em busca da garantia da biodiversidade pantaneira, especialmente a da espécie que deu nome à organização. E diga-se de passagem: uma das aves mais lindas que vi no Pantanal é a Arara Grande Azul, embora ainda seja um pouco difícil de ser vista.

Dicas Pantanal: vegetação.

Vegetação submersa pantaneira. Paula Rocha

Simultaneamente, a preservação é a característica principal do mercado hospitaleiro, que fornece também passeios incríveis de ecoturismo.

Dessa forma, objetivando a consciência ecológica dos visitantes, trilhas são veemente estimuladas, bem como safári fotográfico e canoagem, visto que o contato com a natureza acompanhado de um guia experiente fortalece o desejo de preservação e garante as ações para realizá-la.

Atualmente, o Pantanal conta com pouco mais de 80% de vegetação nativa, apesar da interferência humana. É bastante coisa para aproveitar e conhecer. Mas, claro, cuidando e preservando!

Dica: Nobres, outro destino de ecoturismo com foco na preservação ambiental.

Dicas do Pantanal: animais típicos da região

O Pantanal conta com uma grande variedade de animais, mas você sabe quais são os principais bichos de lá, além do famoso jaburu (também conhecido como tuiuiú), jacaré e onça-pintada?

Vale ressaltar que o jaburu é o símbolo do Pantanal, junto com o jacaré! Aliás, tem jacaré nas estradas, sim!

Apesar da vastidão de vida animal, nenhum animal irá te atacar, não se preocupe. Porém, não os provoque, nem alimente. Como diz o ditado: não cutuca onça com vara curta, porque a onça vai pegar a vara hahaha

Agora, que tal conhecer os animais mais típicos do Pantanal? Você certamente irá se deparar com muitos!

Aves

  • Tuiuiús (jaburus);
  • Tucanos;
  • Papagaios;
  • Gaviões;
  • Carcarás;
  • Emas;
  • Seriemas.

Peixes

  • Piranha;
  • Piraputanga;
  • Pacu;
  • Pintado;
  • Dourado;
  • Piau;
  • Cachara;
  • Jaú.

Répteis

  • Jacaré-do-Pantanal;
  • Jacaré-Coroa;
  • Cobra Jararaca;
  • Cobra Sucuri;
  • Iguana;
  • Calango Verde;
  • Jabuti.
Animais típicos do Pantanal: jacaré.

Jacaré visto no passeio de Chalana. Sandra Campos

Dicas Pantanal: Pantanal Norte ou Pantanal Sul?

O Pantanal conta com 250 mil quilômetros de extensão, sendo 150 mil quilômetros presentes no Brasil.

Boa parte do Pantanal está no Mato Grosso do Sul, enquanto o Mato Grosso abriga as regiões pantaneiras remanescentes. Devido à sua longa extensão à divisão em estados, ele se classifica em dois: o Pantanal Norte e o Pantanal Sul.

O Pantanal Sul está localizado no Mato Grosso do Sul, onde está sua maior parte. Já o Pantanal Norte está no Mato Grosso, possuindo um pouco mais de um terço de todo o Pantanal brasileiro.

Os dois Pantanais são indicados aos amantes da natureza selvagem e têm climas semelhantes, com temperatura média anual de 24ºC. Mas, se as atividades na água são sua opção, opte por passeios no Pantanal Sul, já que há mais lagoas e rios por lá.

Por outro lado, caso queira balancear os passeios por terra e água, aconselho o Pantanal Norte.

Dicas Pantanal: Pantanal Sul.

Lagoa de pesca no Pantanal Sul. Fran Barros

Como chegar no Pantanal

Como o Pantanal tem duas entradas, as opções e distâncias são diversificadas.

Você pode optar por entrar pelo Pantanal Norte ou pelo Pantanal Sul, sendo os aeroportos de Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS) os principais meios aéreos para tal.

Vale ressaltar que o valor das passagens está em constante e rápida mudança. Por isso, é importante entrar em contato com agências de turismo e buscar informações sobre pacotes de viagem e traslados, atrás dos preços mais rentáveis.

Logo após o desembarque, procure por uma empresa de aluguel de carros. Assim que você entrar no aeroporto, já verá inúmeras empresas do tipo, então não se preocupe! Então as alternativas são muitas.

Dica: conheça o destino mais famoso do Mato Grosso do Sul: Bonito.

Caso sua agência de turismo não forneça ônibus que conecte as capitais até o Pantanal, saiba que não é necessário alugar um 4×4, mesmo na época de cheias.

Independente do caminho, se vai por Cuiabá ou Campo Grande, aproveite para admirar a paisagem. Há muita vegetação e várias espécies de animais ao redor da pista, além do céu ser extremamente limpo. Por isso, tire muitas fotos! Faça vídeos e admire o máximo que conseguir. Só não publique nas redes sociais na hora, porque talvez você passe um pouquinho de raiva pelo sinal de internet não ser tão bom.

Mas o que é internet perto do paraíso que é o Pantanal, né?

Agora, partindo das capitais (Cuiabá ou Campo Grande), veja abaixo as dicas do Pantanal de como chegar no Pantanal Norte ou Sul através de carro ou ônibus.

Percurso de Campo Grande até Miranda

Percurso de Campo Grande até Miranda. Sandra Campos

Como chegar no Pantanal Norte de carro

Para chegar no Pantanal Norte, desembarque no Aeroporto Internacional de Cuiabá — Marechal Rondon, localizado no município de Várzea Grande e que aceita voos de todas as capitais brasileiras. Em seguida, você pode escolher seguir de carro pelas seguintes opções:

  • Use a MT-060 até Poconé (104 km);
  • Vá pela MT-040 até Barão de Melgaço (112 km);
  • Siga pela rodovia BR-070 até Cáceres (213 km).

Poconé, Barão de Melgaço e Cáceres são as cidades de principal acesso ao Pantanal, com hospedagem e muitas empresas de turismo nos caminhos.

Optando por Poconé, o trajeto demora cerca de 1h50 e o caminho é bem tranquilo, sem pedágios. Por outro lado, a estrada tem alguns buracos, então dirija com atenção, embora não seja nada muito grotesco, beleza?

Dicas Pantanal: Aconselho baixar o mapa no GPS para funcionar offline, já que o sinal de internet morre.

Todavia, quase no fim da MT-060, você verá uma placa com os dizeres “Wi-Fi grátis”. E aí você pode parar sem medo, porque não é pegadinha!

É o Posto Cruzeiro, a salvação da estrada. Nele, faça o que precisa fazer com internet, use os banheiros (bem limpos, por sinal), passe na lojinha de conveniência e coma alguma coisa no restaurante. A comida é boa e barata, aliás.

Por exemplo, uma refeição completa custou R$14.

Dicas Pantanal: ao alugar um veículo, peça para a empresa responsável colocar seguro que cubra danos no para-brisa, pois em estradas como a MT-060, cheia de caminhões e pedrinhas, é comum alguma acertar seu carro.

E acredite: mesmo que seja a marca minúscula de uma pedra, vão te fazer pagar o para-brisa todo!

O prejuízo pode custar R$460. Por isso, repito: peça seguro que cubra o para-brisa e tudo que for possível.

Como chegar no Pantanal Norte de ônibus

Caso prefira, na rodoviária local de Cuiabá há ônibus para Poconé e Cáceres. Ela fica a poucos minutos do aeroporto, então o custo do Uber não será exorbitante.

As passagens não ultrapassam R$60 se optar por Poconé ou Barão de Melgaço, estando a maior parte do ano na faixa de R$45. Mas pode dobrar de valor se escolher Cáceres, uma vez que é o município mais afastado da capital entre os dois.

As viagens duram cerca de 2h30 até Poconé, 3h30 até Barão de Melgaço e atingindo 4h até Cáceres.

Paisagem Pantanal.

Trechos de terra a caminho dos passeios. Fran Barros

E como os três destinos têm um longo percurso, não esqueça os travesseiros de pescoço e de estar com roupas confortáveis, de preferência nada que esquente demais.

O Consórcio Metropolitano de Transporte oferece três viagens por dia. Mesmo assim, compre as passagens até 15 dias antes de viajar se possível, evitando surpresas indesejadas.

Todavia, você pode parar em alguns dos guichês do local e comprar a passagem na hora. Neste caso, a garantia do assento desejado não é certa.

Como chegar no Pantanal Sul de carro

O Pantanal Sul tem quatro cidades de acesso: Aquidauana, Corumbá, Miranda e Porto Murtinho. Elas são as que mais oferecem opções de turismo e hospedagem, uma vez que cercam o Pantanal.

Diferente do Pantanal Norte, você pode optar por dois aeroportos: o Aeroporto Internacional de Campo Grande, ou o de Corumbá.

Importante: o aeroporto de Corumbá recebe voos de Campo Grande três vezes por semana: às segundas, quartas e sextas. Ou seja, é necessário fazer escala e pode não compensar se formos analisar as horas que a conexão pode levar. 

Por isso, analise com cuidado o tempo que levaria do aeroporto de Campo Grande até Corumbá caso sua agência de turismo ou hospedagem esteja nesta cidade. Às vezes, partir de Cuiabá pode ser mais rápido.

Todavia, se a opção for viável e você decidir pousar em Corumbá, o aeroporto conta com muitos guichês de aluguel de carro.

Por outro lado, se seu desembarque for em Campo Grande, onde o aeroporto é bem maior do que o de Corumbá, você pode alugar um carro assim que pegar suas malas.

Então, com chave em mãos e seguro incluso, você tem algumas opções de como chegar às cidades que abrem as portas do Pantanal:

  • A rodovia BR-262 dá acesso para Aquidauana (135 km), Miranda (202 km) e Corumbá (422 km);
  • Use as BR-262 e BR-267 para chegar em Porto Murtinho (443 km).
Como chegar no Pantanal: Via SP-MS.

Caminho de São Paulo para o Mato Grosso do Sul. Fran Barros

Em todos os trajetos, as estradas são asfaltadas e com muita área agrícola ao redor. E isso significa quilômetros intermináveis de plantação de milho, principalmente.

Prepare-se para pegar rodovias com caminhões enormes! Então, dirija com cautela.

Os postos são bem afastados, então sempre pare quando avistar um para descansar, afinal, os percursos são bem longos.

Como chegar no Pantanal Sul de ônibus

Saindo do aeroporto de Campo Grande, em aproximadamente quinze minutos você estará na rodoviária da cidade. O trajeto não sai tão caro se optar pelo Uber, já que é bem próximo.

Caso pegue o ônibus municipal, talvez fique bons vinte e cinco minutos de pé dentro do veículo, dependendo do horário.

Partindo da rodoviária de Campo Grande, siga para um dos guichês de compra de passagem e adquira a sua, caso não tenha feito dias antes.

Em média, as passagens custam entre R$45-R$200, dependendo do destino.

Se sua opção é Aquidauana, espere pegar até R$50 e ficar cerca de 3h na estrada.

O preço até Miranda não aumenta tanto, saindo na casa dos R$70 e com trajeto de 3h10.

Parnaíba PiauíVeja tambémParnaíba Piauí

Por outro lado, caso vá para Corumbá ou Porto Murtinho, separe R$110 até R$200 e esteja preparado para longas horas de viagem, variando de 5h a 7h30.

Como todas as opções levam boas horas de viagem, muitas paradas são feitas e em bons locais.

E para não ter um percurso ainda mais cansativo, não esqueça o conforto: roupas frescas e confortáveis, além do bom e velho travesseiro de pescoço.

Viajar com crianças para o Pantanal?

Embora não haja grandes restrições para as crianças, sendo viável levá-las para conhecer o Pantanal, alguns cuidados e precauções são de suma importância.

Confira o post sobre o que fazer com criança no Pantanal e se liga nas dicas Pantanal abaixo:

  • Em primeiro lugar, vá ao pediatra para uma consulta de rotina, verificando se a criança está bem e garantindo algumas receitas de medicamentos para febre ou dor de ouvido, caso precise;
  • Antes de entrar no Pantanal, passe em uma farmácia da cidade e compre pomadas para picadas de pernilongo e antialérgicos, já que é difícil encontrar drogarias na região e as crianças podem apresentar alguma alergia até então desconhecida;
  • Leve dois tipos de roupas: de calor e de inverno, já que o corpo das crianças pode não estar habituado a uma mudança climática;
  • Caso a criança precise de algum tipo específico de comida, como leite sem lactose, leve na mala, pois é difícil ter mercado grande por lá;
  • Não esqueça o repelente, em hipótese alguma!

Onde ficar no Pantanal: melhores pousadas

Em primeiro lugar, preciso alertar que não há opção de hospedagem ao longo do Pantanal, a não ser em alguns trechos da Transpantaneira.

Ou seja, é necessário se alocar nas cidades próximas, indo para os passeios de jipe, a cavalo, de barco ou até mesmo avião monomotor. Isso varia bastante, dependendo de onde você está, do seu hotel/pousada e agência de turismo.

Onde ficar no Pantanal: pousada.

Pousada na Transpantaneira. Paula Rocha

Isso se dá principalmente pelo fato de o Pantanal ter poucas áreas que não alagam, sendo mais seguro procurar por um teto nos municípios ao lado.

Sendo assim, confira abaixo as principais dicas de onde ficar no Pantanal.

Pousada Haras Santa Rita

A Haras Santa Rita é a escolha ideal se você está em Poconé! Localizada a 100 km do Aeroporto Internacional de Cuiabá, é rodeada por uma espetacular paisagem verde, agraciando os sentidos de quem a vê, além de ter um belo e grande jardim.

Pousada Haras Santa Rita.

Área de lazer para crianças e adultos na Pousada Haras Santa Rita. Fonte: Booking.

A propriedade oferece passeios gratuitos como trilhas a pé e a cavalo, além de piscina ao ar livre maravilhosa e quadras abertas de jogos. Ademais, a Haras Santa Rita dispõe de restaurante, lounge de uso comum, Wi-Fi gratuito e ar-condicionado geral.

Os quartos possuem televisão, banheiro privativo e acomodam até mesmo crianças e famílias, caso você esteja com crianças ou em grupo. Mas, se estiver em dupla ou pedir quarto individual, a pousada fornece.

  • Atenção: crianças a partir de 6 anos são consideradas adultas.
  • Diárias a partir de R$299. Verifique aqui a disponibilidade.

Veja aqui outras opções de hospedagem em Poconé.

Pousada Nativos

Caso você esteja procurando um lugar que represente fielmente o Pantanal, a Pousada Nativos é uma ótima opção em Miranda.

Com decoração rústica excelente, terraço coberto e ao ar livre, conta com área de lazer perfeita para descanso, com redes e bancos de madeira, transmitindo a real essência do Pantanal: simplicidade, beleza e paz.

Pousada Nativos.

Acomodação dupla na Pousada Nativos. Fonte: Booking.

O refeitório é coberto, fazendo com que as refeições sejam parcialmente na área externa, aumentando ainda mais o contato com a natureza.

O estabelecimento presta serviço de balcão de turismo, fornecendo passeios de equitação, mergulho, ciclismo, pesca e trilhas a pé, com custo adicional.

Estacionamento, Wi-Fi e serviço de limpeza diário gratuitos.

Se estiver com bebês, a Pousada Nativos garante berços e camas extras para crianças de todas as idades com valor adicional, variando de R$50 a R$85 de acordo com a faixa etária. Vale ressaltar que crianças a partir de 12 anos são consideradas adultas nesta pousada.

Veja aqui outras opções de hospedagem em Miranda.

Pousada Piuval

Caso você procure algo dentro da Transpantaneira, a recomendação é a Pousada Piuval.

Estando localizada a apenas 10 km da Estação Rodoviária de Poconé, é uma ótima escolha para quem realizou a viagem de ônibus. Mas caso você esteja de carro, o estacionamento privativo é gratuito.

A estrutura é enorme e muito bem elaborada, com decoração impecável e super elegante. Além disso, oferece piscina para todas as idades, uma enorme área verde para lazer e uma vista de tirar o fôlego pelas janelas dos quartos.

Caso você esteja indo com crianças, a pousada oferece cardápios para as pequenas, além de garantir pratos com dietas especiais. Fora isso, a Piuval tem área de recreação interna, com diversos jogos de tabuleiro e televisões com canais infantis.

Pousada Piuval.

Redário da Pousada Piuval. Fonte: Booking.

Toda a unidade está no térreo, contendo total acessibilidade.

O estabelecimento oferece serviço de translado. Também fornece passeios a cavalo, bicicleta e barco.

Mas mesmo se você não estiver hospedado, poder pagar um day use por R$95 por pessoa.

  • Atenção: crianças a partir de 11 anos são consideradas adultas.
  • Diárias a partir de R$770 para casal com pensão completa. Verifique aqui a disponibilidade.

Melhores restaurantes: onde comer no Pantanal

Além do Pantanal ser o paraíso das belezas naturais, a culinária local não fica para trás.

Os cardápios têm como base os peixes, sendo o Pacu, Pintado e Piraputanga os mais famosos. A Piranha também é apreciada, especialmente quando servida em caldo.

Por outro lado, a gastronomia pantaneira ainda conta com receitas típicas, como farofa de banana e Caribéu (abóbora com carne seca).

Ah, e não podemos esquecer da famosa carne de jacaré! Embora seja de jacaré, se parece com frango, lembra gosto de peixe com textura de peru. Vai entender! É difícil descrever perfeitamente, mas é uma carne saborosa e leve, ideal para ser saboreada com molho tártaro.

Então, para saborear as comidas citadas, veja abaixo onde comer no Pantanal.

Kaskata Flutuante

O nome não é pegadinha: a Kaskata Flutuante é realmente um restaurante flutuante!

Neste estabelecimento, você pode se deliciar com ótimos pratos de peixes enquanto aproveita a vista para o Rio Paraguai, tendo um bom momento, além de provar a famosa farofa de banana.

Dicas Pantanal: Restaurante Kaskata Flutuante

Kaskata Flutuante. Amanda Wellington

O restaurante está localizado em Cáceres e o preço pode parecer acima da média, mas os pratos servem até 3 pessoas facilmente.

Confira abaixo os pratos mais pedidos:

  • Jacaré à Escabeche (acompanha arroz, salada e pirão): R$156
  • Jacaré e molho tártaro: R$82
  • Peixe na Telha (Pacu ou Pintado): R$138 o Pacu, R$143 o Pintado
  • Peixe à La Patrão (prato completo, Pintado): R$135
  • Farofa de banana: R$18

Restaurante Tradição

O restaurante Tradição é o pioneiro na culinária local.

Se você quer provar carne de jacaré, este é o local ideal.

Com bom atendimento, serviço de delivery, churrasco e pizza no cardápio, há opções para todos os paladares. 

O Tradição está localizado bem no centro de Poconé, possui área para crianças, mesas ao ar livre e ar-condicionado em boa temperatura em todas as divisões.

Abaixo, confira os pratos com refeição completa famosos que servem duas pessoas:

  • Pintado à Tradição: R$89
  • Pintado à Parmegiana: R$83
  • Ventrecha de Pacu Frito: R$69
  • Jacaré à Belle-Munier: R$8

Restaurante Pioneiro

O Restaurante Pioneiro é, certamente, um dos mais tradicionais de Miranda.

Oferecendo hospedagem e turismo, é um estabelecimento completo!

Aqui, você prova o Chipa, um dos bolinhos mais típicos da região, de polvilho com queijo. Aliás, é uma ótima opção para o café da manhã. Caso prefira, pode pedir por pedaços de bolos ou bolos completos, todos com sabores caseiros e bem feitos.

Além disso, o famoso Caldo de Piranha é febre no Pioneiro! É um dos símbolos da culinária pantaneira.

Ademais, há também comida de comitiva e muitas variedades de carne, como a Vaca Atolada e Caribéu.

O preço dificilmente ultrapassa R$80.

Dia do Pantanal

O dia 12 de novembro, desde 2008, é considerado o Dia do Pantanal.

Afinal, a riqueza cultural e natural do Brasil se dá, em grande escala, à grande biodiversidade pantaneira. Então, nada mais justo do que ter um dia só para ela, né?

Aliás, é justamente no período de chuvas que foi oficializado o 12 de novembro! Coincidência legal, né?

Mas, infelizmente, a data também simboliza a morte do jornalista e ambientalista Francisco Anselmo de Barros, conhecido como Francelmo, que ateou fogo no próprio corpo em 12 de novembro de 2005, em ato de protesto a favor da preservação do Pantanal.

Todavia, embora o 12 de novembro tenha dois lados, o Pantanal deve continuar sendo visto como um paraíso verde e molhado, preservado e conservado. Portanto, quando for para lá, lembre-se de nunca poluir a área, nem cogitar tirar uma florzinha do chão.

Paisagem da região.

Vista do Pantanal dentro de embarcação. Sandra Campos

Dicas finais para sua viagem ao Pantanal

  • Em primeiro lugar, leve protetor solar e repelentes biodegradáveis, não importa a época que for ao Pantanal! Como a maioria dos passeios são durante o dia, o sol não dá trégua;
  • Em segundo lugar, nada de jogar lixo no chão;
  • Leve roupas confortáveis e leves, você irá precisar delas principalmente para as trilhas;
  • Antes de viajar, confira se sua carteira de vacinação está em dia. Em alguns casos, é preciso se vacinar contra a febre amarela 10 dias antes da viagem;
  • Enfim, vá com a memória do celular livre, pois garanto que precisará de espaço para as milhões de fotos e vídeos do paraíso que é o Pantanal.

Envie um comentário